Concurseiro Interessado ou Compromissado

VOCÊ É UM CONCURSEIRO INTERESSADO OU COMPROMISSADO? – POST [#13]

Caros concurseiros, aqui é o Alexandre Meirelles de volta ao nosso espaço.

Em janeiro de 2007, escrevi um texto apontando as diferenças entre um concurseiro interessado ou compromissado. Dias atrás estava dando uma olhada no meu baú de artigos e achei que esse texto poderia ter sido escrito para os dias atuais, com a nossa crise econômica e a falta de perspectivas de novos concursos no curto prazo. Em momentos assim
, apenas aqueles que estiverem empenhados em atingir o objetivo da aprovação terão a chance de consegui-la. Bom, decidi publicar este texto novamente e espero que ele sirva de parâmetro para quem ainda não se decidiu sobre qual tipo de concurseiro deseja ser. Então, vamos lá:

Há uns bons anos li uma coisa no livro do William Douglas que nunca saiu da minha cabeça: a diferença entre ser um concurseiro interessado ou um compromissado. Jamais esqueci essa diferença enquanto estudava morrendo de dores nas costas e com outras dificuldades mais, e passei a falar sobre isso em minhas palestras com o Deme e, depois, em algumas palestras.

Se você perguntar a 99% dos brasileiros se eles têm o interesse em ganhar de presente um cargo de fiscal ou outro tão bom quanto, é o óbvio ululante que dirão que sim. Quem, nesses dias de baixos salários, alto desemprego e concorrência desleal nas empresas recusaria um emprego estável, com seus direitos garantidos e salário bem interessante?

E eu aprofundo mais a questão: tenho a certeza de que a maioria dos candidatos que gastam dinheiro comprando livros e fazendo cursos também são somente interessados. As salas dos cursinhos (sejam elas virtuais ou presenciais) estão cheias deles. São aqueles que estudam um dia ou outro, tudo é desculpa para não estudar, a culpa de tudo é dos professores e das bancas, não prestam atenção nas aulas e não estudam muito depois para compensar isso. Estudam meia-bomba, só algumas horinhas de vez em quando, para se enganar e aos amigos e familiares. Bem, esses terão duas saídas: ou desistem da vida de concurseiro, que é muito braba, mas que possui uma recompensa maravilhosa quando obtiver sucesso, ou então mudam de atitude e passam a ser compromissados.

Já foi moda os rapazes terem aquela orelha parecendo uma “couve-flor”, de lutador de jiu-jitsu. Também já foi moda usar calça de boca de sino e outras breguices mais. E faz uns anos que é moda ser concurseiro. É cômodo para os que não se dedicam integralmente, os interessados. Pedem a seus familiares para pagarem cursinhos e não se esforçam como deveriam, fingem que estudam, dão desculpas em casa de que vão estudar no curso ou em alguma biblioteca e na prática se esforçam muito pouco. Ficam mais de papo sobre boatos de concursos e histórias de aprovados do que estudando de fato. Mais fácil que ralar para caramba em algum emprego para ganhar dois mil reais por mês, né? Quanto desperdício de tempo e de talento, dentre outras coisas.

Para termos uma ideia da abrangência dos “interessados”, basta ver o número de ausências nas provas de concursos públicos. Para ilustrar, levantei os dados do último concurso para Auditor-Fiscal da Receita Federal, em 2014:

CONCURSEIRO INTERESSADO OU COMPROMISSADO - COMPARECIMENTO CONCURSO auditor fiscal

Analisando o gráfico, notamos que mais da metade (especificamente 53,4%) dos que se inscreveram sequer apareceram para fazer a prova! Estão tão “interessados” que fazem todo o processo de inscrição, pagam a taxa e não aparecem nem para tentar a sorte.

O concurseiro compromissado é diferente. Ele é o cara! É aquele que os outros acham que está ficando doido e antissocial e que estuda tudo o que pode. É o que diminui seu lazer, que estuda muito, que presta atenção nas aulas, que para de reclamar de tudo, que toma remédio para diminuir suas dores para poder estudar mais etc. Esse é o que passa. Ah, quem dera que fosse o outro que passasse, né? Seria tudo tão mais fácil, vai ver é por isso que os interessados estão em número muito maior que os compromissados…

Claro que não quero dizer que se algum candidato não passou após anos de estudo é porque ele só é interessado, não é compromissado. Muito longe disso, eu só digo que para passar tem que ser compromissado, e que a hora desse cara chega, mais cedo ou mais tarde.

Acho que ninguém que passou em um bom cargo foi interessado nos seus tempos de concurseiro. Foi compromissado sim, e muito. Varou noites estudando, deixou de ir a vários compromissos sociais, perdeu namorados(as), lutou contra todas suas dificuldades financeiras e de saúde e muito mais. Quando você conhece os aprovados depois, tanto no curso de formação quanto no trabalho, escuta muitas histórias legais de superação. Você passa a admirar todos por essas atitudes que tomaram. São verdadeiros guerreiros.

Leia o livro da Lia Salgado, você vai sentir bem nítida a diferença entre ela, um bom exemplo de concurseira compromissada, e os que não são.

Você deveria analisar bem em qual tipo de candidato você se enquadra.

Se você acha que será um futuro aprovado ficando de fofoca em sites e Facebook, estudando pouco e arrumando qualquer desculpa para não estudar, eu lhe dou a certeza de que suas chances de ser aprovado serão mínimas. Está perdendo tempo e dinheiro e entristecendo seus familiares e amigos à toa. É melhor enriquecer seu currículo e começar a entregá-lo. Assim você age mais corretamente com quem confia em seu futuro. Pare de enganar quem gosta de você! Eles não merecem isso!

Você só vai passar no dia em que se olhar no espelho e falar: “Eu vou dar tudo de mim, sem desculpites, até passar em um bom concurso!”.

Aí sim se transformará em um candidato compromissado, destinado a alcançar seu tão sonhado objetivo: o de ser servidor público, e de um bom cargo.

Por último, se você leu esse texto e achou que está mais para o concurseiro interessado do que para o compromissado, saiba que essa escolha só depende de você. De mais ninguém. Se até agora você encarou os seus estudos como alguém do primeiro grupo, está na hora de refletir e mudar o seu comportamento.

Pense em algumas atitudes que você teve nos últimos meses: sua prioridade é o estudo e a quantidade de HBCs atingidas na semana ou ir a vários compromissos e baladas que aparecem? Você fica mais triste quando não consegue estudar ou quando perde algum evento social? Você para de estudar no primeiro momento de cansaço que aparece ou sempre luta para conseguir se manter focado por mais tempo? Você estudou menos desde os anúncios da PEC 241 e seu horizonte sombrio ou aumentou o seu esforço desde então? Pense nisso e tome a sua decisão sobre o que você que ser!

Concurseiro Interessado ou Compromissado?

Livre para compartilhamento, desde que mencione este artigo com o respectivo link.

Um abraço do Meirelles (um ex-concurseiro compromissado) e muitas HBCs a todos!

PS.: Apenas a título de curiosidade, se alguém tiver com dúvida se o correto é compromissado ou comprometido, embora as palavras tenham significados parecidos, existe diferença entre elas.

Compromissado: Que assumiu ou prestou compromisso; convencionado; estar de acordo com algo. A palavra tem sentido de empenho na realização de alguma coisa.

Comprometido: Que se comprometeu; dado como garantia, empenhado; que sofreu dano; casado. A palavra tem sentido de obrigatoriedade em relação a alguma coisa.

Dúvidas ou comentários? Escreva no campo de “comentários” logo abaixo. Fique à vontade para compartilhar tanto o artigo quanto a imagem nas redes sociais:

50 respostas
  1. Leonardo
    Leonardo says:

    Este texto mexeu comigo. Fazem uns 12 meses que tenho sido interessado achando que era compromissado.
    Agora ou vai ou racha. Ou melhoro meu desempenho de horas liquidas e avanço com qualidade nas disciplinas ou vou deixar de perder meu tempo e volto para iniciativa privada. Espero que eu consigo pois na iniciativa privada está duro de trabalhar. Valeu Alexandre.

    Responder
  2. Nathália
    Nathália says:

    Sou compromissada! As pessoas que convivem comigo acham que estou ficando doida mas, não me importo não o importante são as minhas HBCs.
    Um grande abraço Alexandre!

    Responder
  3. Alessandra
    Alessandra says:

    Como sempre, simplicidade e convicção em suas palavras! Este texto está impresso e colado na capa do meu livro de Contabilidade para me lembrar de quem sou e de quem não devo permitir que o acaso me torne. Grata, mestre!

    Responder
  4. João Grando
    João Grando says:

    Visualizei-me como um compromissado, mas que não estava conseguindo manter o foco total, tive que terminar um namoro relativamente longo (quase 2 anos) para conseguir parar com as briguinhas que tiravam meu foco, ainda estou meio abalado e com dificuldades de concentração, mas foi ótimo ler tudo isso, vou sair da net já e começar a estudar! Rumo à RFB!

    Responder
  5. doug_funnie_concurseiro
    doug_funnie_concurseiro says:

    Por enquanto estou na fase interessado . Visto que estou escrevendo meu tcc aí não “posso da mole” . Mas logo breve totalmente comprometido com os concursos cargo que almejo que AFFC-CGU. isso da qui 1 mês.

    Responder
  6. Hélio
    Hélio says:

    Nossa! Esse texto cairia bem para um cursinho daqui de Cascavel – PR. Tenho muitos amigos que vieram de muito longe para estudar no alfa e, no entanto, são apenas interessados. Posso dizer que 90% são interessados.
    Quem é compromissado sim, vai passar uma hora ou outra.
    Forte abraço!

    Responder
    • Alexandre Costa
      Alexandre Costa says:

      Cara…concordo com você…uma vez fui assistir uma aula demonstrativa…os caras só ficam fazendo propaganda…e se gabando…mas estudar que é bom nada.

  7. Junior Pontes
    Junior Pontes says:

    É isso aí Mestre, já comprei seu livro e estou seguindo todas as duas dicas, estou comprometido com estudo visando o êxito, ainda mais depois que peguei minha conta… Nunca mais quero passar por isso!
    Vamos a luta!!!

    Responder
  8. RICARDO A BEZERRA
    RICARDO A BEZERRA says:

    Boa Tarde Pessoal,

    Acabei de dar uma pausa nos estudos para almoçar e tive o privilégio de ler este artigo. Creio eu, que estou no caminho certo, estou nesta luta já quase quatro anos e não irei desistir. É difícil, mas temos que seguir em frente rumo aos nossos objetivos, fiz uma cirurgia semana passada e nem por isso parei de estudar. Ainda tenho muitas HBCS para cumprir. Foco é Fé para todos.
    Abraço

    Responder
  9. FRANCISCO LIMA
    FRANCISCO LIMA says:

    Alexandre, eu me considero um concurseiro que está aos poucos se tornando compromissado, pois tomei uma atitude que podem até ser considerada loucura: estava fazendo meu segundo curso (Direito) numa Universidade Pública estava cursando o 1º bloco e parei por 01 ano só pra estudar pra Receita Federal, e cada dia estou aumentado minha carga horária de HBCs. outra coisa, tem horas que meus amigos me acham meio doido por falar tanto em concurso público.

    Obrigado pelas dicas para concurso, as quais me ajudam tanto a continuar nessa batalha.

    Responder
  10. Selma lopes
    Selma lopes says:

    Lendo e meditando o artigo do Alexandre as 22:40 ouvindo o aguaceiro da chuva lá fora, é como escutar a voz do mesmo, rápida, contundente, sincera e de quem entende muito de concursos. Você e o saudoso Deme são meus gurus. Vocês conseguiram, eu também vou chegar lá. Gd. Abraço.

    Responder
  11. Elizabeth
    Elizabeth says:

    Realmente, sou interessada. Estou esperando que o meu doutorado me livre da chatice do concurso para auditor. Ou que meu emprego na universidade privada se transforme em algo pelo menos tolerável. Mas sei que Papai Noel não existe. Então…

    Responder
  12. André Luiz
    André Luiz says:

    Gostaria de fazer um belo discurso com vários elogios, mas no nível em que está, já sabe o quanto é bom e o quanto inspira as pessoas. Deixo apenas o meu muito obrigado, continue inspirando as pessoas a buscarem o topo é lá que nos encontraremos!

    Responder
  13. Kelly
    Kelly says:

    Eu estou super compromissada. Estudando uma média de 6 horas líquidas por dia. Parei até de ler meus romances que tanto adoro. Minha meta de leitura para esse ano foi abandonada!! Acordando quase todo dia as 4 horas da manhã!! (Tenho filhas pequenas). Vou alcançar meu objetivo e vou te contar aqui, Alexandre!! Tudo que vc disse funciona: ciclo de estudos, as anotações diárias das horas líquidas estudadas. Esse controle realmente é motivador e nos faz querer sempre mais. Parabéns pelo post e pelos vídeos!! Adoro!!

    Responder
  14. Felipe Stroka
    Felipe Stroka says:

    Define-se o concurseiro 100% compromissado, aquele que está passando por necessidades ou aquele que sonha em ser o “Profissional X”.
    No mais, acredito que todos temos compromisso com aquilo que fazemos (refiro-me àqueles que realmente estão se dedicando), porém aquelas 1 ou 2h a mais de estudo, que no longo prazo fazem falta, provém da situação que nos encontramos.
    Sou concurseiro compromissado, mas acredito que há pessoas que são ainda mais compromissadas do que eu pela realidade que vivem, e é com essas que eu busco competir “virtualmente” todos os dias, ainda que comparativamente tenham mais “motivação” do que eu.
    Descobre-se no longo prazo que estabilidade e bom salário, por si só – para o concurseiro com uma certa estabilidade (como servidores, jovens recém formados, pessoas com bom nível de vida) – não basta.
    Para ser realmente compromissado, digo que é preciso ter aquela motivação a mais! Aquele X que fará ou mudar sua vida de forma abrupta ou alcançar um sonho.

    Responder
  15. Vicente
    Vicente says:

    Valeu Alexandre, muito bom o texto! Sigo compromissado e comprometido. Ainda mais agora que existe essa tal de “Liga da Aprovação”… Força para todos!

    Responder
  16. Rafael Eliziário
    Rafael Eliziário says:

    Prezado Alexandre,

    Tenho 34 anos , sou casado, tenho 2 filhos e trabalho em uma empresa privada.
    Curso o 7º período de ciências contábeis e ultimante meu orçamento ficou apertado.
    Com isso passei a olha novamente para um antigo sonho meu. Lembro de um artigo seu que quando estudava para fiscal colocava uma foto de uma moto que você almejava tanto (Chegou a comprar?).
    Então em meio de tanta desordem no Rio de Janeiro, resolvi cair de corpo de alma nos estudos para alcançar meus objetivos, porém está sendo mais difícil do que imaginava. Então eu queria um ponto de vista seu se devo investir pesado agora, ou espero me formar, tirar minha habilitação do CRC/RJ e depois começar a me dedicar para concurso que a propósito meu sonho é ser Auditor Fiscal da Receita Federal.
    **Também coloco imagens de motivação para não esquecer do meu objetivo**

    Parabéns pelo sucesso.
    Grande abraço!

    Responder
    • Kelly
      Kelly says:

      Rafael, posso dar um palpite? Olha, fazer faculdade, trabalhar fora, ser pai e esposo, tudo junto, não é nada mole não! Eu sei! Mas, se puder incluir na sua rotina desde já algumas disciplinas básicas, fazer um pequeno ciclo de estudos, acho que será muito útil, já será um passo na frente. O ciclo de estudos do Meirelles é perfeito. Vai que aparece algo interessante antes do prazo que vc está prevendo…. Boa sorte!!

    • Jorge
      Jorge says:

      Concordo com a Kelly, Rafael. Tire um tempo, coisa de 1 ou 2 horas, por exemplo, para se ORGANIZAR. A organização é tão importante quanto o planejamento do estudo. Enquanto no planejamento você define “o que” quer, na organização você define “como” vai fazer para conseguir o quer.

      Tente elaborar horários para cada coisa que você faz/fará no dia-a-dia, coisas essenciais, aquelas que você “tem que fazer”, que simplesmente não pode deixar de fazer — trabalhar, alimentar-se, dormir, praticar exercícios (são tão importantes quanto o descanso e a alimentação), passar tempo com os filhos, etc. Feito isso, você terá uma ideia de quanto tempo “livre” você terá para, então, dedicar-se aos estudos. Não é difícil, e como você aparentemente já tem um objetivo (“o que”) traçado (Receita Federal), fica ainda mais fácil. Abraço.

  17. Marcelo
    Marcelo says:

    Alexandre,

    Tenho visto uma leva de artigos resucitados neste seu novo site. Eu como um mero acompanhador de seu trabalho, assisti a todos os vídeos, li o seu livro e a grande maioria de seus artigos, para não falar todos. Por isso, tenho sentido uma enorme desmotivação em continuar acompanhando o seu trabalho. Onde estão os novos artigos? Quando aparecem novos vídeos, no canal do Estratégia, por exemplo, sempre falam sobre as mesmas coisas… parece até o Roupa Nova de hoje com os sucessos do passado.

    Desculpe a sinceridade, mas este é o meu ponto de vista. E foi este, um dos argumentos que tive para não participar da Liga, o qual confesso: não participei por muito pouco..

    Não quis ofender, tampouco menosprezar o seu trabalho. Sigo os seus ensinamentos, os quais foram muito importantes no início dos meus estudos e ainda são até hoje!

    Um grande abraço.

    Responder
    • Alexandre Meirelles
      Alexandre Meirelles says:

      Marcelo,
      este artigo é de 2007, então é claro que muita gente ainda não o tinha lido. Ele é atemporal. Já publiquei alguns inéditos e outros do tipo atemporais mesmo, que são os que mais são elogiados e comentados, pra vc ver. E aqui no Blog a visualização é muito maior do que antes, por isso vale a pena ressuscitar alguns, pro pessoal também ter acesso.
      Quanto aos webinários, é difícil sair das perguntas padrões de sempre.
      Abraços e boas HBCs

  18. carlos
    carlos says:

    Alexandre, infelizmente, estou interessado, mas já fui compromissado. Não é prazeroso admitir isso, obviamente. No entanto, venho lutando contra a acomodação (já sou servidor, mas ainda não no cargo que almejo).
    Enfrento um deserto, mas sei que dependo só de mim para sair dele. As coisas são fáceis de falar, mas de fazer, é outra coisa. O curioso é que já passei situações bem piores, mas que nada me fazia parar de estudar. Já hoje, casado, em minha própria casa, já estável, tenho todo o ambiente para poder alavancar meus estudos e não consigo fazê-lo. Então, lhe pergunto: já ficou incomodado por estar acomodado? A sensação que sinto é essa e, volta e meia, tento me recobrar de atitudes proativas, compromissadas, mas se perdem ou arrefecem com o transcorrer do tempo. Acho que atravesso um momento de refrigério após anos de sacrifícios, uma espécie de intervalo após mais 1 round da luta, mas agora soou o gongo, e tenho que voltar ao centro do ringue (aliás, nem deveria ter saído de lá).

    Responder
    • Alexandre Meirelles
      Alexandre Meirelles says:

      Carlos,
      já passei por este vale da falta de vergonha ncara por muitos anos.
      O que vai fazer vc resolver sair dele e estudar pesado serão fatores seus, que o impulsionarão a isso. Agora, se for pra ficar neste eterno marasmo, sugiro que pare de uma vez, pq está perdendo seu tempo e de sua família.
      Ou estuda pesado, ou não estuda. Tenho a certeza de que vc sabe qual a melhor saída dessas duas.
      Abraços e boas HBCs

  19. Thereza
    Thereza says:

    Quero ser compromissada cada dia mais, até a posse!

    E quando as pessoas começam a falar que “estou exagerando”, aí é que vejo que estou no caminho certo!

    Obrigada, mestre!

    Responder
  20. Isaque Nazário dos Santos Filho
    Isaque Nazário dos Santos Filho says:

    Olá Alexandre. Não conhecia você até vê-lo no Estratégia Concursos na semana da Receita federal. Confesso que minha primeira impressão sobre você foi de um cara muito duro em suas palavras, mas, fui analisando sua postura e linha de pensamento e percebi que poderia aprender bastante ouvindo este “cara”. Já estudo há 3 anos para o concurso de AFRFB. Acho que tenho uma boa base, mas, quando vi a sua sugestão de biografias para estudos, resolvi fazer alguns novos invertimentos, tais como: Ricardo Alexandre Direito Tributário Esquematizado, Cyonil Borges e Adriel Sá Direito Administrativo Facilitado e Augustinho Paludo Administração Geral e Pública para AFRFB e AFT. Estou estudando uma média de 5 a 6 horas por dia. Estudo como se o edital já tivesse saído. Estou tentando me espelhar em você, pois, minha esposa me disse que você serve de fonte de espiração para quem quer ser alguém melhor. Desde já, agradeço por você ter cruzado o meu caminho e espero um dia te agradecer pessoalmente pela sua ajuda, e se isso acontecer, espero já ser um Auditor da Receita Federal ou estadual. Abraço.

    Responder
  21. Rogério
    Rogério says:

    Só quem realmente deseja ou está passando sérias dificuldades sabe o que é ser um concurseiro compromissado. Sempre leio e acompanho os artigos, mas não costumo comentar, quero deixar para mandar uma mensagem quando eu for investido no cargo.

    Responder
  22. Flávio Júnior
    Flávio Júnior says:

    Gostaria de montar um plano de estudos pra mim já que estou estudando muito e por isso vim aqui pra vc me indicar alguma situação para que eu possa absorver melhor.

    Quais livros vc me indica para estudar melhor?

    Estou estudando antecipadamente para o concurso de agente penitenciário do estado do Ceará.

    E estudado com os editais anteriores gostaria que me indicasse os melhores livros e como absorver melhor meus estudos.

    Grato pela atenção.
    Flávio Júnior

    Responder
  23. Pedro
    Pedro says:

    Me identifiquei muito com este artigo. Minha mulher está achando que estou ficando louco porque fico triste e preocupado quando não consigo estudar tudo o que deveria rsrs. Muito obrigado Alexandre!!!!

    Responder

Trackbacks & Pingbacks

  1. […] evitar distrações sugiro fortemente que você leia dois artigos nossos, os Posts #13 (VOCÊ É UM CONCURSEIRO INTERESSADO OU COMPROMISSADO?) e #11 (APLICATIVOS PARA CONCURSOS PÚBLICOS). E se você ainda não se inscreveu em nossa […]

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *